Skip navigation

Tag Archives: viral

A Slate fez um puta infográfico sobre a “viralização” da diabetes nos states.

As três imagens são, na ordem, 2004, 2006 e 2008.

By now, a clear pattern is emerging: Diabetes is spreading like a virus across the south and Appalachia, across regions known for weak economies. The map is perhaps the most bracing confirmation possible that low incomes and diabetes develop in lockstep.

Slides de uma apresentação de Rick Webb, fundador do fodástico The Barbarian Group.

A primeira tendência é “the era of quick hit viral is over“, seguida por esses dois elucidativos slides:

Essed slided aqui também são fodas:

Post foda do Brainstorm9 assinado pelo Rapha Vasconcello, da Click:

Há alguns dias atrás me peguei empolgado com uma ideia, como há tempos não sentia. É uma dessas coisas simples e geniais que a gente esbarra por aí, de tempos em tempos: conheci os Gregory Brothers, e fiquei chapado. Há tempos que eu não via algo tão original e tão inspirador.

Simplificando ao máximo, eles pegam um vídeo na web, geralmente um que esteja começando a ganhar fama, um vídeo com potencial criativo, e o transformam em música. Pode ser qualquer vídeo. Como a música fica aceitável, a vendem na iTunes Store. Isso mesmo: ganham dinheiro com música, de um jeito totalmente novo.

Esse é talvez o melhor exemplo. Veja o vídeo original:

E a música criada em cima:

As músicas do Gregory Brothers são vendidas no iTunes:

Semana passada estava na posição 63 do ranking, uma abaixo da Rihanna, e HOJE está na posição 38.

Outros números: Cerca de 30.000 músicas vendidas na iTunes Store, teve dia que chegou a TOP 3 (imagem abaixo). Número 89 na Billboard Hot 100, matéria no Today Show de hoje nos EUA e uma série de vídeos-respostas (1 e 2) que não param de aparecer.

E o mais bacana:

Quer outro elemento novo? Os Gregory Brothers dividem o lucro da venda da música com a família Dodson, e Antoine, o “figura” que deu a entrevista, hoje aparece em shows, concede entrevistas e já juntou dinheiro suficiente pra mudar do bairro pobre onde o incidente aconteceu.

Puta estratégia!!!

ChatRoulette sob uma ótica diferente e interessante, escrita pelo NYT:

Two weeks ago, when I sat down with Andrey Ternovskiy, the 17-year-old founder of the site, for a One on One interview, I asked him if there was a single moment when traffic spiked on the site. Mr. Ternovskiy said that growth was just continual. There wasn’t a single news site, blog, or social network that created a spike in the number of users.

He explained that last November, when he started the Web site, he logged less than 500 visitors for the month. Just three months later, without any advertising or promotion, he had 30 million unique users visiting the site — an average of a million unique visitors a day.

He said that the day he started Chatroulette, he saw 20 users on the site and it just grew instantly and organically from there. “The site doubled and it continued to double every day since then,” Mr. Ternovskiy said.

But the sites that helped spread the word of Chatroulette — Twitter, Facebook and other social Web sites — sometimes took years to see 30 million unique users. Chatroulette’s viral growth, aided by social media, suggests that the already speedy clock of Internet time is running faster than ever.

Muito foda!

Via

Via UoD.

Algumas notícias correm pela internet alegando que hackers invadiram o sistema elétrico um prédio para jogar Space Invaders, jogo clássico da era Atari. Pela edição e cuidado que o vídeo foi produzido, arrisco falar que não é verídico e foi executado com o objetivo de viralizar devido a seu conteúdo. O site da Wired dá a entender que é uma bela sacada do antivírus McAfee. No próprio blog da empresa eles falam sobre as possibilidades de se invadir e mostram o vídeo como exemplo, corroborando ainda mais com a hipótese de ser um hoax. Mas vale como algo para alertar como os sistemas estão sujeitos a fraudes se não tiverem um bom sistema de segurança. Verídico ou não, é divertido ver algo que parece impossível acontecer na calada da noite.

A nova ação do Greenpeace é bastante ousada, tem fundamento e aparentemente tem tudo para se tornar um viral. “Black Pixel Project“, criada pela Almap BBDO pretende minimizar o impacto das emissões de CO2 com o esforço do tamanho de alguns pixels. Ao instalar um aplicativo, sua tela ficará com alguns pixels negros e consequentemente economizando energia. E essa energia, somada a energia dos Black Pixels de outras pessoas pode fazer uma grande diferença. A idéia é mostrar que cada pequena ação tem o seu valor.

thebiglunch

The Big Lunch é uma iniciativa desenvolvida para aproximar as pessoas no Reino Unido. Iniciativa esta bastante pertinente para os dias atuais, afinal as pessoas possuem mais amigos virtuais do que reais. A sacada é unir pessoas, para que elas sentem juntos com os seus vizinhos para um almoço no dia 19 de Julho de 2009, como um simples ato comunitário. Seja dentro de casa ou em festas na rua, o objetivo é induzindo para que eles passem algum tempo juntos, comendo, conversando, rindo e se divertindo, unindo-os um pouco mais. O bacana do Big Lunch é que é um projeto puramente conceitual, sem fins lucrativos.

Você já se perguntou o quanto a moda de FREE HUGS ja está saturada? Bem, se a resposta for positivo, você está pronto para ver o upgrade desse serviço.